terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Hoje Elisa Lucinda fala por mim



Do Príncipe ao sim

O homem que eu amo
veio de tanto eu pedir
mas quando parei de esperá-lo
veio quando eu ao depená-lo
do meu sonho receio,
permiti que em vez de início ou fim
ele no meio de mim
fosse só o meio.
Não meio no sentido tático
de jeito ou de modo.
Meio no sentido de durante
de enquanto
de presente.
Quando abandonei o título futuro
definitivo da eternidade
o rótulo azarento de garantia
no departamento de intimidade,
quando abandonei o desejo
de ressarcir aqui
o que perdi na antigüidade,
meu homem chegou cheio de saudade
ocupando inteiro
seu lugar de meio
sua inteira metade.
(Elisa Lucinda)

6 comentários:

Manu Damasceno disse...

Uau, muito bonito.

Dei uma passadinha aqui, mas quero olhar com tempo o seu blog, já que é experiente no assunto, podemos trocar figurinhas.hehehee

bjs

Micheline matos disse...

com certeza manu, podemos sim! pode contar comigo, beijão,Mi

Noiva Nani disse...

nossa que coisa linda einh...
o amor e dimais neh!!!

Micheline matos disse...

muito amor viu Nani e é isso que desejo pra todos que passam por aqui.Beijos,Mi

Peixes em peixes disse...

Uma delicia de leitura.
Gosto muito dela, Eliza do Espirito Santo... dia desses ví um documentário, ela apresentando Vitória, cidade natal, quando acabou fiquei com gosto de quero ir lá... Também queria muito ter visto monólogo que a gata entra nua em cena e durante três horas fala da vida cotidiana sem cansar.

Micheline matos disse...

um dia quero conhecer essa mulher tão forte!