sábado, 11 de julho de 2009

Com que roupa eu vou?

Sexta-feira, dia 10 de julho, céu nublado e lá vou eu encontrar minha amiga Estela. O programa do dia não é ir comprar tecidos na 25 de março como de costume, mas encontrar meu vestido de noiva. Munida de revistas, um esboço do que desejo vestir e algumas dicas de quem já passou por isso, entramos na primeira loja, a Nova Noivas (http://www.novanoiva.com.br/). Minha primeira impressão foi: Como as mulheres casam cedo!.Ali entre noivas e acompanhantes estavam quase cem mulheres. Minha sensação foi de estar na turma errada, mas logo a atendente e o estlista me deixaram à vontade para dizer o que queria. Em menos de 10 minutos lá estava eu dentro de um provador com uns 5 vestidos(que ele achava serem o estilo do que eu queria). Estela me olhava quieta. Entre aquelas roupas só um vestido tinha 50% do que eu queria, o restante saia completamente fora do meu gosto, mas eles são insistentes com uma noiva como eu que nunca havia provado um vestido. Por 15 minutos fiquei dentro de um, quase sem ar. Nesse momento lembrei que havia levado a câmera fotográfica. Vocês acreditam que a bendita cyber shot que nunca me deixou na mão não funcionou ali? Estela registrou no celular esse momento e rimos da situação. De volta à mesa da atendente foi a vez de falarmos de orçamento. Preço de primeiro e segundo aluguel.Vou explicar. Primeiro aluguel é quando você manda confeccionar o vestido dos seus sonhos e no dia seguinte ao casamento você devolve e a loja irá fazer o segundo aluguel a uma outra noiva. O segundo aluguel é mais barato e fica ao seu critério fazer reformulações no modelito. É importante frisar que nessas lojas as pessoas são treinadas a fazer com que a noiva não saia dali sem fechar negócio. Teve momentos em que pensei: Esse povo pensa que escolher um vestido de noiva é rápido como comprar uma calcinha na Marisa. E lá vamos eu e minha amiga para próxima loja. A rua São Caetano é mais conhecida como a rua das noivas em São Paulo, ali é um verdadeiro shopping a céu aberto para noivas de diversos bolsos. Fomos caminhando devagar até que algo me chamasse à atenção em alguma vitrine. Entramos na Ana Claudia noivas, um espaço bem menor do que a primeira loja, mas a simpatia da gerente me conquistou. Logo conseguiu nos levar para o primeiro andar para conhecermos a estilista. Elaine é mais nova do que eu e se formou em moda há quatro anos. Foi um doce de pessoa, me fez provar um vestido de festa o qual era confeccionado com o mesmo tecido do vestido que eu escolhi pra subir ao altar. Ali fiquei mais uma hora, vendo-a desenhar minha idéia. Tudo ficou claro com o croqui daquela menina. Não quero encontrar algo e me adaptar, pois também descobri que ser uma noiva não tradicional é está fadada a olhar os vestidos e não achar nada pra chamar de seu. Todos bufantes ou muito cheios de frufrus ou brilho. Tudo me fazendo me sentir mais esquisita ainda. Não que o meu gosto seja melhor do que o das outras, mas eu simplesmente não consigo me imaginar vestida com uma roupa que não me faça sentir-me bem, principalmente no dia do meu casamento. Se devo encarar o vestido de noiva como um sonho, o meu digamos assim, cabe tecidos fluidos como seda, chifon, musseline, um toque de renda francesa e no maximo uma pitada de brilho. Nada de saiotes por baixo do vestido, caldas imensas, nem um mundo de texturas. Essa noiva não seria eu. Enfim nossa excursão terminou numa terceira loja a qual nem vale citar o nome, pois a dona mais que objetiva calculou em cinco minutos o meu orçamento, sem me fazer provar nada, ali sim, parecia que eu estava escolhendo lingerie em promoção na Marisa. E lá fomos nós almoçar e claro avaliar nossa manhã de caça ao vestido de noiva. Enquanto devorávamos nossa comidinha vegetariana eu senti que talvez já tenha decidido o vestido que cabe nos meus sonhos e no meu bolso. Passei o dia lembrando da minha amiga fabricia que falou pra mim uma vez: O simples querida, é chic!



2 comentários:

Fab disse...

Of course darling! O simples é chiquetésimoooo!Kisses,

Micheline matos disse...

pois é fab, essa frase não sai da minha cabeça kkkkkkkkkkkk, beijos,Mi